Guitarrada: saiba tudo sobre o lendário ritmo paraense

Gênero musical foi concebido por Mestre Vieira a partir da fusão de estilos como carimbó, merengue e mambo
Foto: reprodução / YouTube

Criada no Pará durante a década de 1970, a guitarrada é um gênero musical concebido a partir da fusão de estilos como carimbó, merengue e mambo. Também conhecido como lambada instrumental, o estilo tem a forte presença da guitarra elétrica como uma de suas principais características.

Desde sua invenção com o disco “Lambadas das Quebradas” (1978), de Mestre Vieira, até os dias de hoje, a guitarrada compõe um traço marcante da cultura do Pará. Vale destacar, ainda, que o gênero já influenciou nomes famosos do instrumento, como o guitarrista Ximbinha, da antiga banda Calypso.

Como tocar?

O saudoso Mestre Vieira, criador da guitarrada falecido em 2018, mostrou-se um verdadeiro virtuoso na guitarra desde cedo. Dessa forma, acabou concebendo um estilo próprio de se tocar o instrumento.

O ritmo criado por Mestre Vieira apresenta uma guitarra com batida percussiva, além de solos influenciados pelo choro e carimbó.

A principal característica é a levada com semicolcheias ­– ou seja, quatro notas nas cordas a cada tempo.

O “guitarreiro”, como é chamado o guitarrista do estilo, precisa trabalhar muito a palhetada de forma relaxada. O gênero serve como um legítimo exercício para “soltar” a mão direita.

Ximbinha e a guitarrada

Mais conhecido por ser o fundador e guitarrista da banda paraense Calypso, Ximbinha, que antes assinava como Chimbinha, foi muito influenciado por Mestre Vieira, Aldo Sena e os demais expoentes da guitarrada clássica dos anos setenta.

Inclusive, o primeiro álbum do Ximbinha, antes da fundação do Calypso, foi um disco de guitarrada. Lançado em 1998, o trabalho ‘Guitarras que Cantam’ foi produzido de forma independente e acabou sendo um dos responsáveis pelo ressurgimento do estilo no Pará.

No Calypso, o músico continuou compondo músicas com influências da guitarrada. Ganhou reconhecimento não só no Pará, como em todo o Brasil e até fora do país.

Em 2007, ele foi apontado pelo Instituto Datafolha, ao lado de sua esposa e cantora Joelma, como artista mais popular do Brasil. Além disso, o Calypso concorreu três vezes ao Grammy Latino e gravou um DVD em Angola, levando os ritmos brasileiros para o mundo.

Nos dias de hoje

Antes restrito às regiões Norte e Nordeste, o fenômeno da guitarrada está cada vez mais espalhado na cultura brasileira.

Em entrevista ao portal Tenho Mais Discos Que Amigos, o guitarrista Lorran Valle, da banda de guitarrada curitibana Farofa Tropikal, explicou como é a cena hoje em dia.

“Até o início dos anos 2000, ninguém falava muito sobre a guitarrada. Em 2003, alguns mestres do passado como Aldo Sena e Curica resolveram criar o grupo Mestres da Guitarrada. Aí, todo mundo passou a dar mais atenção. Hoje em dia, está mais espalhada pelo Brasil”, diz.

Outros nomes contemporâneos do estilo são os guitarristas Lucas Estrela e Rosivaldo Cordeiro. A força do ritmo é tanta que, recentemente, o músico Félix Robatto lançou o disco ‘Guitarrada para Bebês’ – o que pode ajudar a garantir que a guitarrada siga viva por muitos anos.

Texto por Gustavo Maiato
Edição por Igor Miranda

Curtiu? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Deixe o seu comentário

Publicidade

Top 5 da semana

Grátis!

Leia agora, a nova edição da revista Guitarload!

Informação, entrevistas, lançamentos e muito mais!