Henry Juszkiewicz - CEO da Gibson
Foto: Jeff Adkins/Bloomberg News.
Publicidade
Cursos de guitarra

Em meio a rumores de um possível decreto de falência da Gibson, os seus credores, segundo a Bloomberg, já se decidiram quanto as condições para a realização de um acordo de resgate: a escolha de um novo CEO para a empresa.

Atualmente, Henry Juszkiewicz é o encarregado de comandar uma das marcas mais influentes no mundo da guitarra e, também, da música. Tanto ele quanto seus credores acreditam que a Gibson ainda possui, sim, um grande valor, seja econômico ou cultural. No entanto, aparentemente, esse é o único ponto ao qual concordam.

Publicidade

Segundo Juszkiewicz, todo o setor de venda de guitarras vive uma crise. Para o empresário, os principais culpados dessa situação são as lojas de instrumentos musicais. Em entrevista recente ao Billboard, o CEO desabafou sobre o assunto e afirmou que o principal ponto é o medo dos revendedores de adentrarem o espectro do e-commerce.

Por mais que exista uma crença de que as pessoas preferem ter contato com a guitarra antes de compra-la, Juszkiewicz acredita que a venda de instrumentos on-line já é uma realidade, e todos os comerciantes devem se adaptar o quão antes.

Acionistas querem nova liderança

O principal grupo de acionistas da Gibson não acredita que os ganhos da marca serão o suficiente para atrair dinheiro novo o suficiente para impedir um eventual descumprimento das dívidas no ano de 2018.

Em meio a isso, os credores estão muito relutantes com relação a colocar ainda mais dinheiro na icônica marca de guitarras enquanto o atual mandatário estiver no posto mais alto. Juszkievicz, no entanto, não planeja entregar o controle majoritário da Gibson.