Guitarras Gibson HP

O canal do YouTube Heavy New York esteve na feira musical Fear the Riff, que ocorreu neste mês em Nova York, e conversou com um representante da Gibson sobre as metas atuais e os planos da empresa.

“Nós certamente estamos sempre procurando criar. Desde o início, o próprio Les Paul foi um grande inovador. Toda vez que construímos uma guitarra, queremos ter certeza de que ela tem aquela vibração clássica, mas não temos medo de inovar”, disse.

Publicidade

“No que diz respeito ao timbre específico, sempre queremos manter o som com o qual nossos clientes de longa data estão familiarizados, mas somos destemidos em buscar coisas novas, com certeza”.

Não deixe de ler: “As dificuldades da Gibson nada têm a ver com a indústria”, diz CEO da Fender

Novos modelos

A marca tem novidades para a linha do ano que vem.

“Estamos com uma pequena amostra de alguns dos nossos modelos 2019 aqui na feira, mas eles serão lançados oficialmente no dia 1º de setembro. Por exemplo, temos um novo acabamento este ano, o Seafoam Green. Quanto ao que o futuro real nos reserva, nós veremos”, afirma o representante.

Em seguida, confira um vídeo sobre as novidades da Gibson para a linha 2019:

Dificuldades da empresa

A Gibson atualmente vive uma crise financeira, com dívidas de 500 milhões de dólares. O maior motivo foi a queda de vendas dos eletrônicos de consumo em diversos países. Essa estratégia equivocada começou em 2014 com a compra da empresa de entretenimento holandesa Philips por US$ 135 milhões.

Neste ano, o grupo finalmente decidiu recuar e se concentrar nos instrumentos musicais e nos sistemas profissionais de sonorização. Os negócios de eletrônicos de consumo no exterior serão reduzidos.

De acordo com a marca, o segmento de instrumentos tem números positivos. As vendas de suas guitarras, por exemplo, cresceram 10,5% no último ano, chegando a 122 milhões de dólares. A Gibson vende cerca de 170 mil guitarras anualmente em mais de 80 países.