Rudolf Schenker tocando guitarra em um palco iluminado

Durante uma conversa com a equipe da Classic Rock, Rudolf Schenker, guitarrista do Scorpions, escolheu Blackout, de 1982, como o melhor álbum da banda em sua opinião.

“Há muitas músicas ótimas nesse disco, mas é mais do que isso que o coloca em primeiro lugar para mim. O som é muito forte porque no estúdio usamos uma incrível máquina de última geração com 32 faixas”, explica.

Publicidade

Superação

Rudolf conta que um problema contribuiu para que todos se superassem na gravação de Blackout. “Klaus Meine perdeu a voz e isso nos pressionou bastante. O fato de termos resolvido o problema torna o álbum muito especial. Além disso, ‘No One Like You’ se tornou a música de rock mais tocada nas rádios americanas em 1982, o que ajudou a nos tornarmos headliners por conta própria”.

O guitarrista destacou mais elementos que tornam o disco único. “Também tenho de mencionar a capa do álbum, que adoro. Um dia eu estava olhando a revista alemã Stern e vi a foto do artista Gottfried Heinwein. Eu sabia que seria a capa. Liguei para Klaus, que tinha visto a foto ao mesmo tempo e concordou comigo!”.

Não deixe de ler: Os 10 melhores guitarristas-base do rock e do metal

Amor pela Flying V

No último mês de setembro, Rudolf Schenker foi perguntado pela Jam Magazine sobre sua relação de amor com as guitarras Gibson Flying V.

“Toquei muitas guitarras antes de decidir pela Flying V. Quando vi uma foto de Johnny Winter com a Flying V, eu disse ao meu irmão [Michael]: ‘Esta é minha guitarra. Você acha exagerada para um guitarrista-base?’. Ele disse: ‘Não’. Então peguei essa guitarra e comecei a tocar com um Marshall de 50 watts. O som era fantástico. A partir desse momento, sempre toquei com uma Flying V”, afirmou Rudolf.

Quer ficar por dentro das novidades sobre o Scorpions? Então visite o site da banda.