Jonny Lang tocando uma Les Paul

Durante uma entrevista com a Music Radar, Jonny Lang falou a respeito de sua abordagem aos solos, comparando-os a uma conversa.

“Eu definitivamente acho que abordo minhas linhas mais como uma melodia vocal, com certeza. Eu penso em solos como uma conversa. Tenho certeza de que há uma famosa citação de B.B. King dizendo algo semelhante… Devem ser conversas que tornem a música melhor em vez de apenas um solo entre partes vocais”, explicou o guitarrista de blues.

Publicidade

Não deixe de ler: Buddy Guy: “O blues precisa de toda a ajuda possível”

Sensação e emoção

“Eu acho que é o que muitos dos grandes guitarristas têm em comum: eles fazem dos seus solos uma parte realmente apropriada para a música. Eu não sei muito sobre a teoria da música por trás do que eu faço – como eu disse, é mais sobre a sensação e emoção”.

Em outra parte da entrevista, Lang encorajou os guitarristas a aprenderem o vocabulário correto para sua música.

“Esta é a principal coisa: sentir e significar. E, para fazer isso, acho que se resume a quantas palavras você conhece na linguagem da música. Pergunte a si mesmo: ‘Qual é o tamanho do meu vocabulário?’. Uma vez que você tenha palavras suficientes, quando chegar a hora, use as corretas e dê o seu melhor para transmitir suas emoções por meio de todas as coisas que você aprendeu… Eu tento não pensar muito nisso, no entanto”.

Quer ficar por dentro de todas as novidades sobre a carreira de Jonny Lang? Então acesse o site oficial do guitarrista.