Foto: reprodução / YouTube

Talvez seja estranho ler sobre Carlos Ghosn, empresário brasileiro que foi presidente da Nissan e fugiu após ser preso no Japão, em um site sobre guitarras. Porém, a fabricante de instrumentos Yamaha tratou de fazer um “link” entre Ghosn e o universo da música.

Para quem não sabe, o empresário franco-brasileiro de origem libanesa foi preso duas vezes no Japão, entre 2018 e 2019, sob acusação de apropriação indébita de fundos da Nissan. Ele foi solto após pagar fiança, porém, sob a condição de que não poderia deixar o país até o julgamento.

Em dezembro de 2019, Carlos Ghosn deixou o Japão de forma ilegal rumo ao Líbano, seu país de origem e local que não tem tratado de extradição com os japoneses. E como o empresário conseguiu fugir? Segundo diversos relatos, ele entrou escondido na carga de jatos particulares através de um case de um contrabaixo.

Diante disso, a Yamaha divulgou um alerta bastante curioso para a população japonesa. A empresa, sediada no Japão, recomendou que as pessoas não tentem se encaixar dentro de cases. O aviso foi divulgado nas redes sociais e, como era de se esperar, viralizou.

“Não mencionaremos a razão, mas tem havido muitos tuítes sobre entrar em cases grandes de instrumentos musicais. Um alerta após qualquer acidente infeliz viria tarde demais, então pedimos a todos que não tentem”, disse a Yamaha, em sua postagem.

Por ser tão inusitada – e quase inocente -, a publicação obteve mais de 50 mil compartilhamentos (retweets) no Twitter, onde foi divulgada originalmente. Em uma segunda mensagem, a Yamaha agradeceu aos seguidores por terem gostado do post original, reforçando: os cases são para instrumentos e equipamentos, não para pessoas.