Foto: divulgação

Kiko Loureiro, atual guitarrista do Megadeth, confirmou que um ex-integrante da banda, Marty Friedman, participará de seu novo álbum solo. O trabalho, intitulado ‘Open Source’, será lançado em breve. O primeiro single já chega a público no dia 16 de junho.

“Nos últimos anos, sempre fui comparado com Marty Friedman, que é um grande músico. Sou grande fã do trabalho solo dele, com o Cacophony e com o Megadeth. Estive com ele pessoalmente em algumas ocasiões e tivemos ótimas conversas sobre música e sobre a vida. Tenho dois convidados no meu novo álbum solo e Marty Friedman é um deles. Estou feliz por tê-lo e ele gravou um solo incrível para uma de minhas músicas. Obrigado, Marty!”, contou Kiko, por meio de um vídeo no YouTube.

Outro guitarrista foi confirmado como convidado especial de ‘Open Source’: trata-se do também brasileiro Mateus Asato. A novidade foi anunciada por Kiko em outro vídeo no YouTube.

‘Open Source’ motivou a criação de uma campanha de financiamento coletivo, em que fãs investem valores para adquirir não só o disco em diferentes formatos (CD, download digital e LP), como, também, uma série de pacotes oferecidos pelo músico.

Os “presentes” vão de ligações de Skype (US$ 150 ou R$ 735, na cotação atual) até as próprias guitarras usadas na gravação, vendidas a US$ 6 mil (R$ 29,7 mil) a US$ 9,3 mil (R$ 46,1 mil). Além disso, é possível adquirir um solo de guitarra gravado pelo músico, para incluir em uma canção de um fã que seja artista ou membro de uma banda, por US$ 2,5 mil (R$ 12,4 mil).

Além de Friedman e Asato, Loureiro conta, em sua banda de apoio, com dois ex-colegas de Angra: o baixista Felipe Andreoli e o baterista Bruno Valverde.

Kiko Loureiro – Open Source

Em comunicado recente, Kiko Loureiro explicou que o conceito do novo álbum ‘Open Source’ está ligado ao termo que o intitula – algo como “código aberto” em tradução livre. A expressão é usada para definir softwares onde a fonte original é disponibilizada de forma gratuita, podendo ser redistribuído e modificado.

A ideia, inclusive, foi aproveitada pelo guitarrista em sua campanha de financiamento coletivo. Além de estar vendendo as tablaturas de todas as músicas para serem tocadas na guitarra (por US$ 50 ou R$ 245, na cotação atual), Kiko vai liberar o material em pistas de gravação separadas para que outros músicos façam suas versões em cima do instrumental disponibilizado.

Veja, abaixo, a capa de ‘Open Source’, feita por Gustavo Sazes: