Foto: divulgação

O guitarrista Kiko Loureiro lançou, nesta sexta-feira (26), mais uma música de seu próximo álbum solo, ‘Open Source’. A faixa, intitulada ‘Imminent Threat’, conta com a participação de Marty Friedman, ex-guitarrista do Megadeth – banda que Kiko integra desde 2015.

“Nos últimos anos, sempre fui comparado com Marty Friedman, que é um grande músico. Sou grande fã do trabalho solo dele, com o Cacophony e com o Megadeth. Estive com ele pessoalmente em algumas ocasiões e tivemos ótimas conversas sobre música e sobre a vida. Tenho dois convidados no meu novo álbum solo e Marty Friedman é um deles. Estou feliz por tê-lo e ele gravou um solo incrível para uma de minhas músicas. Obrigado, Marty!”, anunciou Loureiro, em um vídeo anterior que confirmava a parceria.

Ouça a seguir:

Quinto disco solo da carreira de Kiko Loureiro, ‘Open Source’ será lançado em 10 de julho. O trabalho sucederá ‘Sounds of Innocence’, de 2012.

Outra música do álbum, ‘EDM (e-Dependent Mind)’, foi lançada recentemente como single e ganhou um videoclipe. Veja:

‘Open Source’ motivou a criação de uma campanha de financiamento coletivo, em que fãs investem valores para adquirir não só o disco em diferentes formatos (CD, download digital e LP), como, também, uma série de pacotes oferecidos pelo músico.

Os “presentes” vão de ligações de Skype (US$ 150 ou R$ 735, na cotação atual) até as próprias guitarras usadas na gravação, vendidas a US$ 6 mil (R$ 29,7 mil) a US$ 9,3 mil (R$ 46,1 mil). Além disso, é possível adquirir um solo de guitarra gravado pelo músico, para incluir em uma canção de um fã que seja artista ou membro de uma banda, por US$ 2,5 mil (R$ 12,4 mil).

Loureiro gravou todas as guitarras, com dois ex-colegas de Angra, Felipe Andreoli e Bruno Valverde, respectivamente no baixo e na bateria. Além de Marty Friedman, o disco tem participação do guitarrista Mateus Asato.

Kiko Loureiro – Open Source

Em comunicado recente, Kiko Loureiro explicou que o conceito do novo álbum ‘Open Source’ está ligado ao termo que o intitula – algo como “código aberto” em tradução livre. A expressão é usada para definir softwares onde a fonte original é disponibilizada de forma gratuita, podendo ser redistribuído e modificado.

A ideia, inclusive, foi aproveitada pelo guitarrista em sua campanha de financiamento coletivo. Além de estar vendendo as tablaturas de todas as músicas para serem tocadas na guitarra (por US$ 50 ou R$ 245, na cotação atual), Kiko vai liberar o material em pistas de gravação separadas para que outros músicos façam suas versões em cima do instrumental disponibilizado.

Veja, abaixo, a capa de ‘Open Source’, feita por Gustavo Sazes: