John Petrucci conta que nunca conseguiu aprender solo de ‘Roadhouse Blues’, do The Doors

John Petrucci é um dos guitarristas mais técnicos de todos os tempos, mas até ele sofre - ou sofria - para aprender alguns solos considerados fáceis, como o de 'Roadhouse Blues', do The Doors.
Foto: Alex Matthews / divulgação

John Petrucci é reconhecido como um dos guitarristas mais técnicos de todos os tempos, mas até ele sofre – ou sofria – para aprender alguns solos considerados fáceis. Um deles é o de ‘Roadhouse Blues’, clássico do The Doors.

Em entrevista ao canal do Loudwire no YouTube, com transcrição do Ultimate Guitar, Petrucci se recordou de suas primeiras influências na guitarra. Ele destacou, inicialmente, que aprendeu todas as músicas do álbum ‘The Number of the Beast’ (1982), do Iron Maiden, e clássicos do Rush quando começou a tocar o instrumento.

“Quando eu estava aprendendo, meus amigos e eu, incluindo John Myung, baixista do Dream Theater, amávamos Iron Maiden e Rush. Sabíamos todas a smúsicas. Quando ‘The Number of the Beast’ saiu, aprendemos todas elas. Amamos tocar o riff da música ‘The Number of the Beast’ juntos. Do Rush, tocávamos as mais hard rock, que soam como Led Zeppelin, como ‘Working Man’, que tem aquele solo estendido”, afirmou.

O músico pontuou que descobriu seu “ponto fraco” com The Doors devido a outro amigo, o tecladista Kevin Moore, que fez parte do Dream Theater até metade da década de 90. “Nós éramos melhores amigos, fazíamos tudo juntos e ele amava The Doors, provavelmente por causa do teclado. Tocávamos The Doors o tempo todo e tentei aprender os solos, mas aqueles solos do Robbie Krieger são muito difíceis para mim”, disse.

Foi aí que John Petrucci revelou um problema em especial com ‘Roadhouse Blues’. “Eu nunca consegui aprender o solo exato de ‘Roadhouse Blues’. Era como tocar alguns licks de guitarra rock and roll, como Chuck Berry. E foi útil tocar essas músicas no começo, pois trazem ingredientes básicos de solos de guitarra”, declarou.

Bend e vibrato

Em outro momento do bate-papo, John Petrucci destacou que, no começo, sofreu muito para aperfeiçoar seu bend e vibrato – principalmente, porque ele não sabia de fato o que eram essas técnicas. “Eu tentava tocar os solos e não soava igual, até que descobri o bend e o vibrato, e a maneira como Angus Young e Jimmy Page usavam essas técnicas”, disse.

Para aprender o vibrato, ele precisou usar um recurso onde desacelerava a velocidade dos discos que ouvia. “Lembro de ouvir um álbum do Iron Maiden bem lento. Percebi que o vibrato era uma série de curvas para cima e para baixo. Foi quando meu solo ganhou credibilidade, além de me ajudar a desenvolver meu estilo próprio como guitarrista”, comentou.

Já com relação aos bends, Petrucci demandou uma noção mais visual. “Você tem que fazer seu dedão dar a volta no braço da guitarra e usar os outros dedos para dar apoio ao que será usado no bend. Se você vai fazer bend com o anelar, você não sai por aí elevando a nota só com esse dedo, sozinho. Desse jeito, é muito difícil. Precisa usar a base feita com os outros dedos”, destacou.

A entrevista completa pode ser conferida no vídeo a seguir, em inglês e sem legendas.

Curtiu? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Deixe o seu comentário

Publicidade

Top 5 da semana

Grátis!

Leia agora, a nova edição da revista Guitarload!

Informação, entrevistas, lançamentos e muito mais!