Kirk Hammett conta por que trocou Fender por Gibson logo no início da carreira

O guitarrista Kirk Hammett, do Metallica, é conhecido por usar, geralmente, modelos de guitarra Gibson e ESP, mas a primeira guitarra dele foi uma Fender Stratocaster. Por que ele trocou?
Foto: Anton Corbijn / divulgação

O guitarrista Kirk Hammett, do Metallica, é conhecido por usar, geralmente, modelos de guitarra Gibson e ESP. É raro vê-lo com uma Fender, embora a marca tenha sido responsável por seu primeiro instrumento.

Em entrevista ao canal da própria Gibson no YouTube, com transcrição do Ultimate Guitar, Hammett, claro, não poupou elogios à famosa fabricante de guitarras Les Paul, Flying V e outros modelos. Além disso, ele contou por que trocou sua primeira Stratocaster por uma V.

Inicialmente, ele comentou:

“Minha primeira guitarra de verdade foi uma Stratocaster. Quando eu a pluguei no amplificador que eu tinha, não consegui a plenitude, não consegui todas as frequências que eu queria ouvir.”

Em seguida, Kirk Hammett destacou que estava sendo muito influenciado pela sonoridade do primeiro álbum do Van Halen, autointitulado e lançado em 1978.

“Lembro de pegar um captador humbucker, acho que um DiMarzio Super 2, e colocar na ponte. Ainda assim, não fiquei satisfeito com o som. Eu tinha um plano: trabalhar por 6 meses e conseguir dinheiro o suficiente para trocar minha Stratocaster, junto de dinheiro extra, para comprar uma Gibson Flying V, pois eu adorava o som do Michael Schenker (UFO, MSG, Scorpions).”

A partir dessa troca, Hammett diz ter percebido que “ouvia o som da Gibson em praticamente todos os álbuns de rock”.

“Decidi que precisava de uma Gibson para obter aquele som. Lembro de chegar à loja e comprar uma Gibson Flying V 1979 nova, com a troca. Então, eu cheguei ao céu. Meu som estava mais cheio e eu percebi que o som que eu procurava era baseado em humbuckers. Eu ainda tenho essa Gibson Flying V e é ótima, pois foi a primeira guitarra que eu pude dominar.”

Kirk não bancou o cínico e reconheceu que as Stratocaster também são ótimas.

“Dá para fazer muita coisa com uma Strato. Porém, eu tinha pouca experiência com guitarra. Não conhecia o potencial da Stratocaster. Com a Gibson Flying V, tudo era mais óbvio. Os sons que eu queria, a forma de tocar, o acesso às casas… e o visual! Para um garoto, uma Flying V é como um grande brinquedo. Fiquei muito feliz. Com meu amplificador Marshall, tudo ficou completo.”

A entrevista pode ser conferida na íntegra, em inglês e sem legendas, no player de vídeo a seguir.

Curtiu? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Deixe o seu comentário

Publicidade

Top 5 da semana

Grátis!

Leia agora, a nova edição da revista Guitarload!

Informação, entrevistas, lançamentos e muito mais!