Springsteen lança serviço de download de shows 

Clássicas performances dos anos 1970 devem entrar no pacote 
No começo deste ano, a Rolling Stone perguntou a Bruce Springsteen sobre a possibilidade de ele lançar gravações oficiais de shows que têm circulado por comunidades de fãs há anos. “Acho que seria legal pegar alguns desses shows clássicos que mantiveram as pessoas interessadas nos últimos 20, 30 ou 40 anos, e talvez formalizá-los de alguma maneira”, ele disse. “Não está fora dos planos.”

Essa semana, os planos se tornaram realidade com o lançamento de live.brucespringsteen.net. O site está oferecendo downloads da maioria dos shows da turnê High Hopes, de 2014, uma performance completa de Born To Run em uma apresentação recente na Nova Zelândia.

No primeiro volume da série de arquivo, está a estreia da turnê Wrecking Ball no Apollo Theater, em Nova York, no dia 9 de março de 2012. O shows estão disponíveis em MP3 (US$ 9,95), áudio em compressão sem perda de dados (US$ 12,95), áudio em HD (US$ 19,95) e CD (US$ 23).

Esta nova série ao vivo foi reunida pelo nug.net, uma organização que já trabalhou previamente com o Pearl Jam, Phish e Metallica nos downloads de material ao vivo. Em entrevista ao Backstreets, o CEO e fundador do site Brad Sterling disse que ele conversou sobre isso com Springsteen em 2009, mas teve a proposta rejeitada. Quando ele tentou de novo este ano, instantaneamente eles se interessaram.

Springsteen mudou de ideia ao perceber a quantidade de shows dele que estavam no YouTube. “Ele ficou tipo: ‘Podemos fazer melhor que isso. Temos as fitas máster!'”, disse Sterling. “O legal é que ele não estava dizendo: ‘Danem-se esses caras. Tirem esse negócio do ar. Foda-se o YouTube.’ Ele estava falando: ‘Se isso está acontecendo, nós devíamos fazer isso oficialmente’.”

A série de arquivo pode estar começando com um show relativamente recente, mas pode-se esperar que eles irão cavar fundo na história de Springsteen para futuros lançamentos. “é muito excitante pensar sobre as diferentes eras que serão cobertas”, disse Sterling. “E o que é muito interessante é ver de onde as fitas estão vindo. O que está nos baús, o que não está. Nem tudo está nos arquivos deles, então eles são uma fonte de busca agora.”

As informações são do portal Rolling Stone Brasil.

Curtiu? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Deixe o seu comentário

Publicidade

Top 5 da semana

Grátis!

Leia agora, a nova edição da revista Guitarload!

Informação, entrevistas, lançamentos e muito mais!