Edu Ardanuy tocando sua guitarra stratocaster da marca Tagima
Foto: Bruno Custódio

Na continuação da entrevista exclusiva que dera para edição de novembro de 2017 da revista Guitarload, o guitarrista Edu Ardanuy falou detalhes sobre o seu novo modelo signature feito pela Tagima.

Apresentada ao público na Expomusic do ano passado, a nova guitarra signature de Edu Ardanuy vem com três captadores single coil. O músico afirma que o modelo foi construído para a gravação do seu novo disco solo – que, inclusive, não possui sequer uma parte gravada com captadores humbucker.

Publicidade
Musilink – MXL – Fevereiro 1

Sendo mais uma Stratocaster clássica, o instrumento possui corpo de mogno, braço feito em maple e escala de ébano – três das madeiras mais queridas pela maioria dos guitarristas. A cor, Red Fiesta, foi escolhida em conjunto com a Tagima, e é de agrado do guitarrista. Já os captadores, no entanto, foram produzidos pela Music Maker – algo que, inicialmente, não agradou a Tagima.

O guitarrista conta que teve de se reunir com o proprietário da marca para convencê-lo a utilizar os captadores que costuma equipar as suas guitarras pessoais. Cedendo à vontade do músico, a Tagima deve começar, também, a vender os outros modelos signature de Edu Ardanuy com os seu próprios captadores – algo que não acontecia antes.

Captadores da Music Maker

Questionado o porquê da preferência em desenvolver um captador próprio com a marca Music Maker e não escolher algum já disponível no mercado, Edu Ardanuy destacou a questão do business: “se eu tenho a possibilidade de desenvolver um single coil que eu tenha participação na venda dele, é muito mais interessante do que usar uma marca famosa”.

A entrevista com Edu Ardanuy, realizada no estúdio Espaço Som, em São Paulo, pelo jornalista Alexandre Veloso, está dividida no canal da Guitarload no Youtube em seis partes. Confira o terceiro vídeo:

Confira as outras partes nos links abaixo:

Parte 1: Edu Ardanuy fala sobre o 2º álbum de sua carreira solo
Parte 2: Edu Ardanuy: “Seria interessante se as vertentes do rock se unissem”