Rudolf Schenker tocando uma Flying V

Guitarrista do Scorpions, Rudolf Schenker foi perguntado pela Jam Magazine sobre sua relação de amor com as guitarras Gibson Flying V.

“Toquei muitas guitarras antes de decidir pela Flying V. Na verdade, comecei com uma Framus, uma empresa alemã, antes de passar a usar Vox. Depois, ganhei minha primeira Gibson do meu pai. Era uma Trini Lopez ES-175, mas foi difícil usá-la por causa do feedback, especialmente quando começamos a tocar com grandes amplificadores Marshall”, diz.

Publicidade

“Então peguei uma Fender, acredite ou não… Mas não gostei. Foi aí que vi uma foto de Johnny Winter com a Flying V. Eu disse ao meu irmão [Michael]: ‘Esta é minha guitarra. Você acha exagerada para um guitarrista-base?’. Ele disse: ‘não’. Então peguei essa guitarra e comecei a tocar com um Marshall de 50 watts. O som era fantástico. A partir desse momento, sempre toquei com uma Flying V”, explica Rudolf.

Não deixe de ler: Os 10 melhores guitarristas-base do rock e do metal

Disputa entre irmãos

O músico também contou que, certa vez, Michael Schenker “roubou” sua guitarra.

“Um dia, ele esqueceu a Les Paul dele na casa da namorada, sendo que havia um show no fim de semana. Aí meu irmão veio até mim e disse: ‘Ei, estou sem guitarra, o que podemos fazer?’. Respondi: ‘Tente usar minha Flying V com o Marshall de 50 watts’. Ele seguiu meu conselho e funcionou, mas, depois do concerto, ele falou: ‘Rudolf, não posso lhe devolver a Flying V. O som é muito bom’. Logo depois disso ele foi para a banda UFO”, afirma.

Rudolf continuou: “Eu disse para mim mesmo que iria ter de volta a Flying V, porque tentei Firebirds, Explorers e todas esses modelos, porém nenhum tinha o som como o de uma Flying V. Eu toco apenas com Flying V desde então permanentemente”, finaliza o músico.

Quer ficar por dentro das novidades sobre o Scorpions? Então visite o site da banda.

Deixe uma resposta

Please enter your comment!
Please enter your name here