Alex Lifeson tocando ao vivo

Durante uma sessão de perguntas e respostas no The Rock Hall, o guitarrista do Rush, Alex Lifeson, compartilhou sua opinião sobre a Gibson SG enquanto falava sobre sua coleção de guitarras.

“Para mim, a guitarra icônica é a 355 branca que comprei em 1976. Ela esteve em muitas gravações, desde quando a comprei até o último álbum. Também tenho uma Telecaster reedição de 1959 que comprei por volta de 1983. Tirei o acabamento do braço, então ficou em madeira crua – provavelmente escrevi 80% dos meus arranjos com essa guitarra. Eu troquei uma SG por ela… Sabe,  nunca gostei da Gibson SG. O braço sempre me pareceu muito longo”, conta Alex.

Publicidade

Nada de livro

No fim do ano passado, o colega de Alex no Rush, Geddy Lee, lançou Big Beautiful Book of Bass, um livro sobre sua coleção de baixos. Alex, então, foi perguntado se também gostaria de fazer um livro sobre suas guitarras.

“Olha, a maioria das minhas guitarras são ferramentas. Eu tenho alguns instrumentos colecionáveis ​​que adquiri nos últimos anos, mas já há alguns grandes livros de guitarra por aí. Tipo, o livro de Lisa Johnson é lindo, é realmente impressionante. Não sei, fazer um livro sobre guitarras dá muito trabalho, acho que vou apenas tocá-las”, brinca.

Arrependimento

Em uma entrevista de 2016, Alex Lifeson revelou quais as piores músicas já gravadas pelo Rush.

Lançada em 1987, “Tai Shan” é uma faixa que faz parte do álbum Hold Your Fire e concebida de forma experimental com base em sons chineses. Não foi só Lifeson que se arrependeu de lançar a canção: Geddy Lee também já descreveu o trabalho como um “erro”.

“Panacea” é uma parte da música de vinte minutos “The Fountain of Lamneth”, lançada em 1975, no disco Caress of Steel. Para Lifeson, a canção “foi uma tentativa de fazer algo que não deu certo”.

Quer mais informações sobre Alex Lifeson? Então visite o site do Rush.