‘Tears in Heaven’: o hit de Eric Clapton inspirado pela trágica morte de seu filho

A balada ‘Tears in Heaven’ se tornou um dos maiores clássicos do repertório de Eric Clapton. Entretanto, a história por trás da bela música foi inspirada em uma tragédia: a morte do filho do guitarrista, Conor Clapton, aos 4 anos, após cair do 53º andar de um prédio em Nova York, em 1992.
Foto: reprodução / Facebook

A balada ‘Tears in Heaven’ se tornou um dos maiores clássicos do repertório de Eric Clapton. Entretanto, a história por trás da bela música foi inspirada em uma tragédia: a morte do filho do guitarrista, Conor Clapton, aos 4 anos de idade, após cair do 53º andar de um prédio em Nova York, em 20 de março de 1991.

Apesar do infeliz contexto que inspirou a composição, a emocionante faixa, composta por Clapton e Will Jennings, alcançou o topo das paradas e rendeu prêmios ao guitarrista. Além disso, ‘Tears in Heaven’ também foi incluída na trilha sonora do filme ‘Rush – Uma Viagem ao Inferno’ (1991) e apareceu no álbum acústico ‘Unplugged’ (1992).

A morte de Conor Clapton

Foto: reprodução / Pinterest

A história que inspirou ‘Tears in Heaven’ começou a se desenhar na manhã do dia 20 de março de 1991. A essa altura, Eric Clapton já estava separado da modelo italiana Lory del Santo, com quem teve um filho, batizado de Conor Clapton.

Embora a relação tenha chegado ao fim, Lory e Conor foram visitar o músico em Nova York, para que Eric pudesse passar mais tempo com seu filho.

A programação do dia começaria pela manhã, incluindo um divertido passeio pelo zoológico. Dessa forma, Eric Clapton combinou de encontrar a ex-esposa e o filho no prédio em que estavam hospedados, no 53º andar da rua 57, em Manhattan.

Lory se arrumava para o passeio e pediu para a babá ficar de olho em Conor, que havia completado 4 anos em agosto do ano anterior. O menino corria de um lado para o outro, brincando de se esconder no apartamento. Nesse meio-tempo, o zelador avisou a babá que estava limpando as janelas, por isso, ficariam abertas.

Sem saber do perigo iminente, a babá perdeu de vista o pequeno Conor, que acabou correndo em direção à abertura. Por volta das 11h, Conor Clapton despencou da janela do apartamento.

Ao saber do ocorrido, Lory entrou em pânico e desmaiou. Eric Clapton, por sua vez, entrou em depressão e ficou recluso por vários meses.

A composição de ‘Tears in Heaven’

Foto: Jill Furmanovsky / Star File / site oficial de Eric Clapton

“Você saberá o meu nome se eu te encontrar no paraíso?”, pergunta o primeiro verso de ‘Tears in Heaven’. A triste e bonita canção foi escrita por Clapton em parceria com o letrista Will Jennings, que também compôs os versos de ‘My Heart Will Go On’, tema do filme ‘Titanic’ e famosa na voz de Céline Dion.

Segundo Clapton, a melodia surgiu rápido em sua cabeça. Porém, o guitarrista só foi capaz de sentar e escrever a música cerca de 9 meses depois da tragédia.

Anos depois, no documentário ‘Eric Clapton: A Life in 12 Bars’ (2017), o músico conta que a composição foi dolorosa. “Escrevi ‘Tears in Heaven’ para mim porque me sentia terrivelmente mal”, assume.

A canção traz um dos mais belos solos do Slowhand, abusando das influências do blues. A harmonia, por sua vez, tem certa influência de jazz, com progressões mais elaboradas. Tudo isso em um clima bem melancólico, como a história pedia.

Eric Clapton emplaca um hit

Foto: reprodução / YouTube

‘Tears in Heaven’ foi lançada, inicialmente, em 1991, como parte da trilha sonora do filme ‘Rush – Uma Viagem ao Inferno’, dirigido por Lili Fini Zanuck. No ano seguinte, saiu como single e também ganhou uma versão acústica no show ‘MTV Unplugged’, produzido para a MTV.

O sucesso gigantesco de ‘Tears In Heaven’ pode ser traduzido em números. O single da faixa em sua gravação de estúdio, liberado no início de 1992, chegou ao segundo lugar das paradas dos Estados Unidos e ao quinto no Reino Unido, além do topo no Canadá e no Japão. Na terra do Tio Sam, o compacto obteve disco de platina, por vender mais de um milhão de cópias.

O álbum lançado com a gravação do show acústico para a MTV, intitulado apenas ‘Unplugged’, é o disco mais vendido da carreira de Eric Clapton e da série da emissora americana. Somente nos Estados Unidos, teve mais de 10 milhões de cópias comercializadas, obtendo certificação de diamante por lá, assim como no Canadá, e platina múltipla no Reino Unido, Austrália, Japão e vários outros países.

Além disso, ‘Tears in Heaven’ trouxe, especificamente, três prêmios Grammy para Clapton em 1993: Gravação do Ano, Canção do Ano e Melhor Performance Vocal Pop Masculina. Fora que o ‘Unplugged’ também levou o prêmio por Álbum do Ano.

Hoje em dia, com pouco mais de 175 milhões de reproduções no Spotify, ‘Tears in Heaven’ é a terceira faixa mais popular de Eric Clapton na plataforma. No YouTube, o videoclipe oficial tem 86 milhões de visualizações, sendo, também, o terceiro mais visto do guitarrista no site de vídeos.

Texto por Gustavo Maiato
Edição por Igor Miranda

Curtiu? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Deixe o seu comentário

Publicidade

Top 5 da semana

Grátis!

Leia agora, a nova edição da revista Guitarload!

Informação, entrevistas, lançamentos e muito mais!