Joe Bonamassa nomeia o guitarrista com o ‘maior timbre’ que já ouviu

'Os técnicos dele chegaram com três cabeçotes Marshall de 1976', lembrou o músico
Foto de Karel Uyttendaele via Facebook

Para informações em tempo real sobre o mundo da guitarra, siga o canal da Guitarload no WhatsApp:

Em recente entrevista, Joe Bonamassa revelou o nome do músico responsável pelo “maior timbre” de guitarra que já ouviu na vida. 

“Robin Trower foi um cara subestimado. Abri o show dele em 1994, no Summerfest, em Milwaukee. Os técnicos dele chegaram com três cabeçotes Marshall de 1976 e três caixas 4×12, todos com acabamento Fawn”, contou a Rick Beato

“Eu tinha dois Supros, um Fender Twin e um Tube Screamer. Eu pensava que estava indo bem… Porém, Robin tinha um Univibe de verdade, um Tube Screamer de verdade e um wah. Foi o maior timbre que já ouvi, o mais grandioso”, explicou. 

Por fim, Bonamassa pontuou que, mais tarde, comprou os mesmos gabinetes do colega. “Naquele dia, pensei: ‘Preciso de um desses’. Agora, tenho todo aquele backline dos anos 1970 de Robin, exceto os cabeçotes.”

| Leia também: Joe Bonamassa planeja se aposentar em 15 anos

Guitarra mais cara

No mês passado, Joe Bonamassa abriu as portas de seu museu guitarrístico particular à equipe da Guitarist para mostrar a guitarra mais cara da coleção, uma Gibson Flying V fabricada em 1958.

“Está em perfeitas condições. Apelidei essa Gibson de Donny J., pois a comprei de meu amigo Don, em Oklahoma. Ele adquiriu o instrumento em 1976 por US$ 1.100, o que era muito dinheiro na época.” 

“Foi o valor mais alto que desembolsei por uma guitarra na minha vida: mais de US$ 400 mil. Mas quanto vale um Flying V? Vale o que alguém está disposto a pagar”, finalizou.

Curtiu? Compartilhe!
Facebook
Twitter
WhatsApp
Telegram
Email
Comentários:
Receba nossos melhores conteúdos em tempo real!

Preencha os dados abaixo para receber nossos conteúdos no Whatsapp