Foo Fighters encerra turnê pelo Brasil 

Mais de 17 mil pessoas estiveram no show em BH
Tudo bem que a banda Foo Fighters é conhecida por ser cheia de “gente boa”, a começar pelo líder, o vocalista Dave Grohl, passando pelos discretos Chris Shiflett (guitarra), Pat Smear (guitarra) e Nate Mendel (baixo), até chegar no carismático baterista Taylor Hawkins. Mas a plateia de Belo Horizonte, que compareceu à Esplanada do Mineirão ontem (28) para assistir ao último show da turnê do grupo pelo Brasil foi arrebatada antes dos primeiros acordes quando a imagem da Igreja de São Francisco, um dos cartões-postais da cidade, foi projetada no telão principal.

Antes, os Raimundos e os ingleses do Kaiser Chiefs haviam se apresentado. O Foo Fighters subiu ao palco às 21h17, apenas dois minutos além do previsto. A chuva fina que começou no início do show não desanimou os mais de 17 mil fãs. Ela até deu uma trégua depois de quinze minutos. “A noite está linta. Tem uma chuvinha aí, mas a noite está muito linda”, falou Grohl.

Como aconteceu em Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro, o show começou com “Something from Nothing”, primeiro single do disco recém-lançado “Sonic Highways”. Na sequência veio “The Pretender”, um dos sucessos do álbum “Echoes, Silence, Patience & Grace” (2007). “Learn to Fly” e “Breakout”, do disco “There Is Nothing Left to Lose” (1999), e “My Hero”, de “The Colour and the Shape” (1998), também não faltaram.

“é estranho, mas é legal”, disse Dave Grohl ao mencionar que a banda nunca havia estado em Belo Horizonte antes. “Nós vamos tocar música atrás de música, mas eu vou parar algumas vezes para dizer ‘oi’. Aliás, oi, eu sou o Dave. Esse é o Foo Figthers”, brincou o vocalista antes de tocar de “Big Me”, sucesso do disco de estreia da banda, lançado em 1996.

Um dos pontos altos do show foi quando Dave seguiu até o fim de uma passarela colocada no meio do público. “Skin and Bones” e “Wheels” deram um tom mais intimista à apresentação. “Times Like These” fez surgir literalmente do chão o restante da banda. Em seguida veio, o já clássico, momento dos “covers”. “Detroit Rock City”, do Kiss, “Tom Sawyer”, do Rush, e “Under Pressure”, do Queen, foram algumas das canções interpretadas pelo Foo Fighters. “Nós gostamos de tocar algumas das nossas múscas favoritas”, disse Grohl.

Na fase final do show, a banda voltou a tocar seus próprios hits. “All My Life”, do disco “One by one” (2002), e “These days”, de ‘Wasting light’ (2011), foram acompanhadas do início ao fim pelo público. Mas foi durante a performance de “Best of you”, do álbum “In your honor” (2005) que esSa participação se tornou mais forte. Um coro espontâneo surgiu por parte da plateia, deixando os músicos visivelmente emocionados. “Isso foi f** demais”, elogiou Dave.

A banda não costuma sair do palco e depois voltar para o bis. “Não gostamos de dizer Adeus. Nós dizemos isso”, disse Grohl, introduzindo “Everlong”, um dos maiores sucessos do disco “The Colour and the Shape”, última música do setlist. O show teve quase três horas de duração.

Além de Belo Horizonte, o Foo Fighters passou por Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro.

As informações são do portal G1.

Curtiu? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Deixe o seu comentário

Publicidade

Top 5 da semana

Grátis!

Leia agora, a nova edição da revista Guitarload!

Informação, entrevistas, lançamentos e muito mais!