A Fender AM Professional Stratocaster, com corpo em ash (foto: Fender / divulgação)

A Fender confirmou que deixará de produzir guitarras com a madeira ash, também conhecida no Brasil como freixo. A informação foi confirmada pela empresa ao site Gear News.

O assunto começou a ser debatido publicamente como um rumor, após um revendedor australiano da Fender, dono da Guitar Station, revelar que o uso do ash para fabricação de guitarras deve ser eliminado de forma progressiva. Depois, a empresa acabou confirmando a informação após ser procurada pela reportagem da publicação.

São dois motivos que levam a essa decisão, conforme antecipou o CEO da Guitar Station. O primeiro é: o ash usado pela Fender chega, em maior parte, de ilhas fluviais da região delta do Mississippi, área dos Estados Unidos que está passando por inundações mais frequentes do que as que já aconteciam comumente. Segundo a publicação, trata-se de um resultado das mudanças climáticas.

Já a segunda explicação tem a ver com uma espécie de praga introduzida na Ásia que está destruindo várias árvores de ash / freixo na América do Norte nas últimas duas décadas, e nenhum produtor está conseguindo conter os insetos em questão. Os dois pontos estão provocando escassez dessa madeira no mercado.

“Para manter nosso legado de consistência e de alta qualidade, nós da Fender decidimos remover o ash da maior parte da nossa produção regular. O pouco de ash que temos será usado em modelos seletos e modelos vintage historicamente apropriados”, explicou Max Gutnik, executivo da Fender.

Curiosamente, a empresa havia anunciado dois modelos com uso de ash no início deste ano: American Performer Stratocaster e Telecaster. Ambos seguem disponíveis para compra, ainda que, a partir de agora, em quantidade limitada.

O ash / freixo já era considerada uma madeira de alto custo para a Fender, pois é mais difícil de se trabalhar. Desde então, apenas os modelos mais caros da empresa contam com a madeira em questão, bastante usada por músicos de blues.