Como uma gravadora ganha dinheiro com o streaming, que paga tão pouco? Paulo Baron responde

Gravadora? Isso ainda existe? Sim, e em formatos cada vez mais distintos. Algumas delas ainda trabalham com o modelo tradicional de mídia física, enquanto outras apostam diretamente no streaming.
Foto: divulgação

Gravadora? Isso ainda existe? Sim, e em formatos cada vez mais distintos. Algumas delas ainda trabalham com o modelo tradicional de mídia física, enquanto outras apostam diretamente no streaming.

Paulo Baron, empresário da Top Link Music que produziu shows e gerenciou bandas do porte de Scorpions, Angra, Shaman e mais, falou sobre o assunto em entrevista à edição 108 da Guitarload (clique aqui para ler na íntegra). O manager divulga a masterclass, ‘Rocking Your Life‘, onde compartilha seus conhecimentos adquiridos no showbusiness e traz convidados de vários segmentos da música.

A masterclass traz um tópico específico sobre gravadoras. Nele, Rodrigo Ratto (Ditto Music) e Luiz Garcia (head de marketing da Universal Music) mostram como esses diferentes universos, de streaming e mídia física, acabam dialogando.

Ratto, por exemplo, deixou a própria Universal, uma gravadora tradicional, para trabalhar diretamente com o streaming. Garcia, por sua vez, pertence a modelos mais tradicionais de selos fonográficos.

“É interessante escutar o cara da gravadora explicando que a menos que você seja um grande artista, ou se a gravadora esteja buscando um estilo específico, a maioria dos artistas precisa saber como distribuir sua música”, comentou Paulo Baron, durante a entrevista.

Gravadoras – antes e depois

Ainda durante o bate-papo, Baron contou como esse segmento de gravadoras funcionava no passado – e o que mudou.

“Quando fui empresário do Shaman, assinei com a Universal e, na época, ainda se pagava o ‘advance’, que o músico pensa que ganhou uma grana da gravadora, mas na verdade é um empréstimo. Depois, eles retiram essa grana com as vendas. Só que, agora, não está mais no CD e, sim, no streaming. E o ganho no streaming para uma banda pequena é menor. Então, qual é a lógica de uma grande gravadora contratar um desconhecido?”

Anos depois do Shaman, Paulo Baron passou a trabalhar com o Angra e fez uma boa negociação para eles nas plataformas de streaming, na época do álbum “Secret Garden” (2015).

“Ninguém sabia do streaming. Kiko (Loureiro, guitarrista) já morava nos Estados Unidos e avisou que o streaming viria com tudo. Vendemos na Universal uns 15 mil CDs, que era muito na época. Quando renovamos para lançar o álbum seguinte, ‘Omni’ (2018), eles quiseram ficar com 70% do streaming e eu falei que não fazia sentido, pois só venderíamos 5 mil CDs do ‘Omni’. Então, tirei a banda da Universal, amigavelmente, e levei para a ONErpm, onde ficamos com 85% do streaming, por sermos os primeiros clientes, e lançamos o álbum físico do ‘Omni’ por nós mesmos.”

Como gravadora ganha no streaming se paga tão pouco

Se a renda obtida com o streaming é tão baixa (calculada entre US$ 3 mil e US$ 5 mil a cada milhão de plays), como é que existem gravadoras especializadas nisso? “Pela quantidade”, revela Baron.

“O segredo deles é ter muitos artistas. O Arthur, dono da ONErpm, trabalhava para uma grande gravadora quando teve a ideia de montar a empresa e fechou contrato com todos. Brinco que ele é o culpado do funk brasileiro ter se propagado tanto, pois ele assinou com todos os artistas que ninguém ligava”, afirmou.

A edição 108 da Guitarload (clique aqui para ler na íntegra) está no ar e traz a entrevista com Paulo Baron na íntegra, além de bate-papos com Nuno Mindelis e Tyler Bryant e muitos outros conteúdos sobre guitarra e guitarristas!

Serviço – “Rocking Your Life”

  • O que é: masterclass online sobre a indústria musical, seus agentes e relação, produtos e projetos musicais e gestão de negócio e carreira, com foco no sucesso do seu projeto ou banda.
  • Público-alvo: músicos, empresários e produtores do segmento musical.
  • Inscrições: pelo site, www.rockcentury.com.br, para entrar na lista da próxima turma.
  • Valor: R$ 1.390,00 (por boleto bancário, cartão de crédito com parcelamento ou PayPal).

Curtiu? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Deixe o seu comentário

Publicidade

Top 5 da semana

Grátis!

Leia agora, a nova edição da revista Guitarload!

Informação, entrevistas, lançamentos e muito mais!