Duas cordas? O segredo para criar um grande riff, na opinião de Zakk Wylde

Guitarrista explicou que quando o assunto é composição, vale a regra do “quanto mais simples, melhor”
Foto: divulgação

Zakk Wylde é dono de alguns dos riffs mais memoráveis do heavy metal. Seja com Ozzy Osbourne, com o Black Label Society ou com outros projetos, o guitarrista sempre caprichou na construção dos riffs de suas músicas.

Qual é o segredo para compor riffs considerados memoráveis? Na visão dele, com exemplos como as aberturas de “Smoke on the Water” ou “Iron Man”, é criar seguindo a filosofia do “quanto mais simples, melhor”.

Em muitos casos, segundo ele, basta limitar a criação a duas cordas – mais especificamente, E e A, as mais graves de uma guitarra de 6 cordas – para obter um bom resultado.

As dicas foram dadas em entrevista ao podcast Guitar Speak, com transcrição da Ultimate Guitar. O “braço direito” de Ozzy Osbourne explicou: “Você precisa saber escrever riffs em uma ou duas cordas. Esse é o segredo. Outra ideia é compor com um baixo. Fique improvisando usando apenas as cordas de cima. Essa precisa ser a mentalidade”.

Zakk Wylde e os riffs do Black Sabbath

A originalidade das composições de Tony Iommi, guitarrista do Black Sabbath, também foi lembrada por Zakk Wylde. Segundo ele, existe uma “arte” na simplicidade por trás de riffs como os das músicas “Snowblind”, “Into The Void” e “Fairies Wear Boots”.

Outra composição que, segundo Zakk, obedece a essa regra, é “Whole Lotta Love”, sucesso do Led Zeppelin com riffs de Jimmy Page.

Texto por Gustavo Maiato
Edição por Igor Miranda

Curtiu? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Deixe o seu comentário

Publicidade

Top 5 da semana

Grátis!

Leia agora, a nova edição da revista Guitarload!

Informação, entrevistas, lançamentos e muito mais!