Kirk Hammett, do Metallica

O guitarrista do Metallica, Kirk Hammett, falou sobre a falta de solos no álbum de 2003 da banda, St. Anger.

“Acho que foi apropriado para a época, mas, olhando para trás, não parece tão apropriado para mim agora!”, conta o músico em recente entrevista à equipe da Metal Hammer.

Publicidade

“Sempre irei me opor a isso, mas acho que a mensagem foi entendida depois daquele álbum: os solos são necessários no Metallica! As pessoas estão ansiosos para ouvi-los. Então, para mim, foi uma estranha reivindicação.”

Sobre St. Anger

Oitavo álbum de estúdio do Metallica, foi considerado o mais “controverso” de toda a carreira da banda. O disco tem a colaboração final do produtor Bob Rock e também é o primeiro após a saída do baixista Jason Newsted.

Os fãs clássicos do grupo criticaram o trabalho por causa da produção crua, da falta de solos de guitarra e do som estridente da bateria. Apesar de tudo, St. Anger estreou na primeira posição das paradas de vendas em 14 países, incluindo a Billboard 200 dos Estados Unidos. Em 2004, a canção “St. Anger” venceu o Grammy Award na categoria Melhor Performance de Metal.

Não deixe de ler: Metallica usou Mesa Boogie em ‘Master’ por causa de patrocínio

Crise da guitarra

Na mesma entrevista, Hammett também falou sobre o atual momento do instrumento.

“Não sei o que diabos está acontecendo, mas as pessoas parecem estar vendo a guitarra sob uma luz diferente, preferindo as merdas de samplers e outros enfeites. Talvez seja um sinal dos tempos. Como todos os instrumentos, há um momento em que a guitarra tinha de sair de moda. No início dos anos 1980, a guitarra não era tão popular como se tornou novamente em meados da mesma década… Então vamos ver o que acontece”, afirma Kirk.

Quer acompanhar as novidades sobre o Metallica? Então visite o site oficial da banda.