Nita Strauss posando para foto

A guitarrista Nita Strauss falou sobre o seu disco-solo Controlled Chaos, destacando o carinho especial que tem por músicas sem letras.

“Eu queria fazer um disco instrumental que os não-músicos pudessem ouvir e entender – não apenas um monte de notas rápidas tocadas em sequência, mas algo que conta uma história real”, afirma a guitarrista do Alice Cooper.

Publicidade

“O melhor da música instrumental é que ela é subjetiva. As faixas podem significar o que você quer que elas signifiquem. Uma música triste não é necessariamente sobre uma morte ou uma perda – pode ser o que você precisa que seja naquele momento”, completa.

Veja: Nita Strauss fala sobre preconceito com guitarristas do sexo feminino

Vocação

Em fevereiro, Nita falou sobre a importância do filme Crossroads em sua trajetória musical.

“Todos os meus heróis são guitarristas instrumentais. Sempre quis gravar um disco instrumental, desde quando vi o que Steve Vai fez em Crossroads. Eu assisti ao filme e isso mudou totalmente a minha vida. Pensei: ‘É isso que eu deveria estar fazendo’.”

A instrumentista afirmou que demorou um pouco para que ela se sentisse preparada para dar um passo adiante na carreira. “É difícil começar como guitarrista-solo, especialmente no início, quando você não é tão boa ainda. Você tem de tocar em bandas para melhorar – aprendi isso nos últimos 16 anos”.

Para mais informações sobre a carreira de Nita, visite o Facebook da guitarrista.