Jimmie Vaughan tocando uma Stratocaster

Em recente entrevista à equipe da Guitar World, Jimmie Vaughan contou detalhes de seu início na guitarra.

“No começo, tudo era um mistério para mim. A principal coisa em que trabalhei foi ir do ponto A ao ponto B. Como essas pessoas que estou ouvindo sabem o que vão tocar? Comecei a me imaginar em uma sala com meus guitarristas favoritos. Em minha mente, estávamos fazendo uma jam e, quando chegava a hora, eu tinha de tocar alguma coisa”, explica Jimmie.

Publicidade

O guitarrista diz que estava realmente tentando descobrir a improvisação. “Você pode ter uma melodia vocal, mas, quando se trata de um solo de guitarra, é preciso improvisar. O objetivo é tocar o que você sente. Descobrir isso vem naturalmente”.

Novo álbum

Em maio, Jimmie Vaughan lançou Baby, Please Come Home. O novo disco, uma celebração do blues em todas as suas formas, é o primeiro lançamento de estúdio de Vaughan desde 2011. O trabalho também inclui covers de músicas de nomes como T-Bone Walker, Clarence “Gatemouth” Brown, Jimmy Reed e Lefty Frizzell, sem deixar de citar Lloyd Price, Jimmy Donley, Richard Berry, Chuck Willis, Bill Doggett e Fats Domino.

É uma mistura eclética, com certeza – mas, como diz Vaughan, “quando eu era jovem, eu não dava muita atenção a estilos de música. Apenas ouvia o que eu gostava, e agora decidi explorar isso”.

A maior parte de Baby, Please Come Home foi gravada no Texas pelos músicos George Rains, Billy Pitman, Ronnie James, Mike Flanigan, Doug James, Greg Piccolo, Al Gomez, Kaz Kazonoff, T. Jarred Bonata, John Mills and Randy Zimmerman. Vocalistas convidados incluem Georgia Bramhall e Emily Gimble.

Leia: Buddy Guy: “O blues precisa de toda a ajuda possível”

“Be My Lovey Dovey”

Em seguida, você pode conferir “Be My Lovey Dovey”, uma das faixas do trabalho:

Quer mais informações sobre Jimmie Vaughan? Então visite o site do guitarrista.