Tony Iommi revela como chegou ao seu pesado timbre de guitarra: ‘no passado, era obrigação’

Tony Iommi é dono de um dos timbres mais reconhecíveis do rock. O guitarrista do Black Sabbath, pioneiro do heavy metal, destacou que era bem mais difícil desenvolver um som próprio no passado.
Tony Iommi em preto e branco

Tony Iommi é dono de um dos timbres mais reconhecíveis do rock. O guitarrista do Black Sabbath é um dos pioneiros do heavy metal e consegue fazer o instrumento soar pesado como ninguém.

E tudo aquilo saía dos dedos de Tony Iommi. Nada de pedaleiras sofisticadas ou avançados programas de computador para gravação.

Em entrevista à ‘Guitar World‘, o músico refletiu sobre os desafios de se criar um timbre próprio. Ele destacou que isso era obrigação no passado, já que não existia tanta tecnologia que possibilitava escolher a sonoridade que quisesse.

A revolução do Black Sabbath

De início, Iommi foi perguntado sobre o 50° aniversário de ‘Paranoid’, o clássico segundo álbum do Black Sabbath, lançado em setembro de 1970. O guitarrista reconhece que ninguém da banda pensava que aquele disco faria história, tornando-se um retrato do heavy metal.

“Você nunca pensa sobre isso quando está gravando um álbum. Você grava porque se diverte com isso. Lá atrás, estávamos apenas desesperados para lançar músicas – era apenas nisso que se pensava antigamente. Mas, sim, é incrível que os primeiros discos do Black Sabbath estejam mais fortes do que nunca. Novas gerações ouvem esses álbuns como se tivesse acabado de sair. As músicas andam aparecendo até em comercial de carro.”

Iommi comentou, ainda, que os primeiros álbuns do Black Sabbath fazem parte de quem ele é, como pessoa. Mesmo com a pouca tecnologia usada para gravar, o resultado foi bastante satisfatório.

“É ótimo ouvir esses discos e me lembrar da banda que éramos naquela época. Tinha uma identidade própria e foram feitos do modo mais básico possível, sem exagerar na produção. Só plugamos e tocamos de coração. Não era como é hoje, onde há computadores fazendo overdubs ali, modulando aqui, colocando um efeito específico em uma música.”

Tony Iommi e o desenvolvimento do timbre de guitarra

Enquanto guitarrista, Tony Iommi também apontou que, antigamente, era necessário desenvolver um timbre próprio. Não havia saída.

“Naqueles tempos, você precisava criar o seu som. Não dava para comprar um aparato eletrônico para soar do jeito que você quer. Você tinha que arregaçar as mangas e criar o próprio timbre. Trabalhei muito no meu timbre de guitarra. Sobrecarregava o amplificador e encontrava minhas próprias formas de deixar o som pesado. Não havia amplificadores vindo com aquele som naturalmente – tinha que brincar com a parte eletrônica. Mesma coisa com os efeitos – tinha que mexer nos pedais e amplificadores para extrair sons.”

Curtiu? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Deixe o seu comentário

Publicidade

Top 5 da semana

Grátis!

Leia agora, a nova edição da revista Guitarload!

Informação, entrevistas, lançamentos e muito mais!