12 mulheres guitarristas que estão mudando o mundo, segundo a Guitar World

Artistas como H.E.R., Jasmine Star, Yvette Young, as irmãs Rebecca e Megan Lowell do Larkin Poe e a brasileira Lari Basilio entraram para o levantamento da revista americana
Foto: divulgação

O site da revista Guitar World divulgou na segunda-feira (8), Dia Internacional da Mulher, uma lista com 12 mulheres guitarristas que estão mudando o mundo nos últimos 12 meses, desde o início da pandemia. Há, inclusive, uma brasileira na pauta, redigida pelo jornalista Michael Astley-Brown.

Inicialmente, o texto relembra que o Grammy trouxe, pela primeira vez, apenas artistas mulheres indicadas à categoria de Melhor Performance de Rock. HAIM, Brittany Howard, Grace Potter, Phoebe Bridgers, Fiona Apple e Big Thief concorrem ao prêmio, que será entregue neste domingo (14).

Dessa forma, o site da revista buscou “saudar as mulheres guitarristas que estão levando a guitarra para novas direções, abrindo novos caminhos e fazendo do mundo da guitarra um ambiente empolgante nos últimos 12 meses”.

“Não há limite para o número de artistas que poderíamos incluir em uma lista assim, mas essas são as mulheres guitarristas que acreditamos que mudaram as regras do jogo desde o início da pandemia”, diz.

Veja, abaixo, as 12 mulheres guitarristas selecionadas pela Guitar World, na ordem em que foram mencionadas, e trechos dos comentários feitos pela revista. O texto completo pode ser lido, em inglês, no site da publicação.

Mulheres guitarristas que estão mudando o mundo

  1. H.E.R.

“Poderíamos preencher a maior parte deste tópico com as conquistas desta vencedora do Grammy no ano passado – uma indicação ao Oscar, várias aparições no ‘Tonight Show’, uma performance incrível no Super Bowl -, mas tornar-se a primeira artista negra a ter uma guitarra signature da Fender (H.E.R. Stratocaster) pode ter o impacto mais duradouro.”

  1. Jasmine Star

“Quando você tem apenas um minuto para demonstrar suas habilidades, precisa fazer com que cada segundo conte. E há poucos guitarristas que conseguem acompanhar o ritmo de Jasmine Star, que aos 17 anos se tornou uma das maiores guitarristas da rede social TikTok, graças a vídeos cheios de técnica e criatividade.”

  1. Carmen Vandenberg

“Não houve NAMM este ano, mas uma série de equipamentos foram anunciados, entre eles o novo amplificador CV30 da Blackstar, um combo elegante e elegante projetado por Carmen Vandenberg – o que a torna a primeira mulher a ter um amplificador de guitarra signature. Vandenberg pode ter descrito a experiência como ‘um sonho com o qual eu nunca sonhei’, mas seu status como guitarrista lhe dá procedência: ela não só tocou com um dos maiores nomes de todos os tempos, Jeff Beck, como também co-escreveu o álbum dele de 2016, ‘Loud Hailer’, enquanto seu duo Bones UK ganhou um Grammy por seu álbum de estreia.”

  1. Amy Love (Nova Twins)

“Com o duo Nova Twins, Amy Love está abrindo um novo caminho no rock – um que tece os graves sonoros do hip hop com a abrasividade do rock alternativo em uma das uniões mais estimulantes a ter guitarras e vários pedais de efeito. Porém, o Nova Twins tem ambições que vão além de mudar o rock: elas estão em uma missão cultural. Para esse fim, Love e sua colega de banda Georgia South montaram neste ano uma compilação, ‘Nova Twins Presents Voices For The Unheard’, para mostrar artistas alternativos de outras etnias.”

  1. Nandi Bushell

“Durante o lockdown, esta londrina de 11 anos se comunicou com mais músicos do que este editor. Tom Morello, Flea e Dave Grohl fizeram fila para exaltar esta prodígio multi-instrumentista. Mas são as performances e a pura alegria que Bushell exala que devem encher os guitarristas com o tipo de sensação vertiginosa que tiveram quando ligaram pela primeira vez, aumentaram o ganho e tocaram aquele acorde mizão.”

  1. Rebecca e Megan Lovell (Larkin Poe)

“Enquanto grande parte dos guitarristas do século 21 focam na busca da perfeição, as irmãs Lovell, do Larkin Poe, buscam manter a chama das raízes americanas acesas com uma abordagem de gravação distintamente da velha escola: as guitarras são captadas ao vivo e há apenas alguns takes vocais para reter a humanidade. […] O álbum ‘Self Made Man’, do ano passado, é repleto de riffs elétricos monstruosos e lap-steel enraizados no blues, mas com ganchos e produção que apontam para o pop contemporâneo.”

  1. Yvette Young

“A confirmação de Yvette Young como a segunda artista feminina signature da história da Ibanez, após Nita Strauss, foi feito tecnicamente um pouco antes do ano passado. Porém, o que ela fez com aquele modelo segue como inspiração. O álbum ‘Technicolor’, do ano passado, foi uma conquista edificante e tecnicamente surpreendente para a banda de math rock dela, Covet, mas Young usou a plataforma que suas habilidades lhe deram para promover positividade e inclusão no instrumento.”

  1. Arielle

“Uma coisa é ser apoiada por Brian May – e com elogios como ‘a forma de Arielle tocar chega a lugares que eu nunca sabia que existiam’ -, outra é convencer o fundador do Queen a lançar as primeiras guitarras da Brian May Guitars que, bem, não sejam para Brian May. A cantora e compositora americana transformou seu sonho em realidade, com um modelo exclusivo que une um Explorer com DNA Red Special.”

  1. Diamond Rowe (Tetrarch)

“O Tetrarch está prestes a dominar o mundo. Seu tipo de peso, que vem do nu metal e hardcore, ressoou em uma escala colossal, com seus singles mais recentes acumulando bem mais de um milhão de visualizações cada. […] Mas é a guitarrista solo Diamond Rowe que realmente faz o som do Tetrarch brilhar. Seus riffs vão desde o peso do Trivium até a destruição do Gojira.”

  1. Helen Ibe

“Helen Ibe é conhecida por sua técnica de jazz formidável em seu país natal, a Nigéria, mas seus seguidores em todo o mundo estarão mais familiarizados com seus licks elétricos neo-soul de bom gosto, conforme mostrado em seu crescente canal no YouTube. 2020 viu a base de fãs de Ibe aumentar a uma taxa impressionante graças a uma onda de novos vídeos.”

  1. Lari Basilio

“A Ibanez chocou o mundo este ano com o lançamento de sua própria linha AZS inspirada na Tele e, ao lado de Josh Smith, a gigante japonesa da guitarra contratou a virtuosa brasileira Lari Basilio para seus primeiros modelos signature no novo formato do corpo. A Ibanez LB1 é um modelo que honra a habilidade de Basilio. Isso também a inspirou a escrever e gravar ‘Sunny Days‘, sua primeira música inédita desde o álbum ‘Far More’ de 2019, que mostra o toque, o dinamismo e o talento com que ela fez seu nome.”

  1. Phoebe Bridgers

“Já mencionamos as indicações femininas ao Grammy 2021 – e poucas artistas receberam tantas indicações a prêmios como Phoebe Bridgers, que está concorrendo a Melhor Artista Revelação, Melhor Álbum Alternativo, Melhor Canção de Rock e Melhor Rock Desempenho. O álbum ‘Punisher’ foi uma conquista decisiva para uma das grandes compositoras da atualidade. […] Phoebe Bridgers é um lembrete de que não há regras quando se trata de guitarra – um sentimento que é verdadeiro agora mais do que nunca.”

Curtiu? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Deixe o seu comentário

Publicidade

Top 5 da semana

Grátis!

Leia agora, a nova edição da revista Guitarload!

Informação, entrevistas, lançamentos e muito mais!